Deixe um comentário

Olá, nós mudamos: agora somos .com!

Ano Novo, Vida Nova, Site NOVO!

Nosso novo endereço é: www.cineopinativo.com

Aparece lá! =)

Deixe um comentário

Crimes, pecados, Allen e um ponto final

Continue lendo »

2 Comentários

[SOBRE] O Tempo e o Vento

o tempo e o vento 4

Como dizia minha avó Ana Terra… vai ser meu novo bordão.

O CineOpinativo foi convidado a ir, na quinta-feira a noite, na pré-estreia de O Tempo e o Vento, baseado na obra O Continente de Érico Veríssimo – e que, talvez vocês lembrem, também já foi uma minissérie.

Não sei se você já teve a oportunidade de ir a uma pré-estreia, mas é muito legal. Só é importante encarar o fato de que uma pré-estreia não é uma ida comum ao cinema, trata-se de um evento ao redor de um filme e da produção do mesmo. Espere bastante gente, espere câmeras, espere rostos conhecidos. Se alguém responsável pela realização (produtor, diretor ou alguém do elenco) estiver na mesma sala que você, espere aplausos em várias cenas e muita animação (e até interatividade) por parte do público. Se não estiver, terá aplausos da mesma forma, mas geralmente é só no final. Isso vai variar muito.

Isso acontece porque é uma espécie de comemoração, uma festa. Lembre-se que é a primeira vez que o filme está sendo visto por um público variado – e nem todos os convidados estão, necessariamente, ligados de alguma forma ao mundo do cinema – pelo menos profissionalmente.

Mas, enfim, com refrigerante e pipoca em mãos, fomos para a sala. De início notei que o som estava extremamente alto e cheguei a ficar com medo de que aquilo se prolongasse, mas não foi o caso – Amém!

O Tempo e o Vento é um bom filme, bastante legal e, sem dúvida alguma, muito bonito – mas seria praticamente impossível não ser. Veja bem, a todo momento, há um grande plano geral – de paisagens, diversas, personagens vistos ao longe, tudo bem poético. O problema que senti nisso, porém, é que, além do exagero da técnica, às vezes a tonalidade das cenas não eram muito combinadas: imagine-se em um ambiente com luz baixa e aí, de repente, alguém abre a janela e o sol entra com toda força. É mais ou menos assim. Acho que perdi um ou dois segundos de cena durante essas transições enquanto minha visão se ajustava.

o tempo e o vento 2

Notei também que grande parte do filme é muito cheia de cortes. Suaves, mas cortes ainda assim. Parecia que toda a história estava sendo contada através de longas fotografias, sem muita preocupação com o desenvolvimento da cena – deixando o que aconteceu por nossa própria conta. Talvez seja por influência da minissérie, mas dava a impressão de que, a qualquer momento, em um desses cortes, iria entrar um break comercial.

o tempo e o vento 5

Muito embora seja a Ana Terra que marca a obra do início ao fim, personagem de tanta importância que ganha uma infinidade de análises, é impossível não destacar, no filme, o Capitão Rodrigo – vivido muito bem pelo Thiago Lacerda – que surpreende na atuação. Totalmente destemido e decidido, ele cumpre o papel no drama, romance e na veia cômica do longa.

o tempo e o vento 3

No final, como esperado e merecido, houveram palmas. Incluindo as minhas.

O Tempo e o Vento foi dirigido por Jayme Monjardim e estreia no dia 20 no Rio Grande do Sul
e dia 27/09/2013 para os demais lugares do país!

Deixe um comentário

Estreias da Semana no Cinema

Dentre os onze títulos que temos abaixo, alguns longas não são desse ano, infelizmente, só estão chegando ao Brasil essa semana. Temos comédias, uma boa quantidade – dentro da proporção – de filmes em francês, e aqueles cujos postêrs tem aqueles raminhos que indicam premiações – ou dão a ideia de serem cults. Além, é claro, da esperada estreia de Jobs! =)

A Coleção Invisível
com Vladimir Brichta, Walmir Chagas
Dirigido por Bernard Attal, diretor do documentário Os Magníficos

A Filha do Meu Melhor Amigo
com Hugh Laurie, Adam Brody, Leighton Meester, Alia Shawkat, Catherine Keener, Allison Janney, Oliver Platt
Dirigido por Julian Farino – diretor de várias séries de TV, como The Newsroom e The Office

A Religiosa
com Isabelle Huppert, Martina Gedeck, Agathe Bonitzer, Marc Barbé
Dirigido por Guillaume Nicloux, mesmo diretor de Les enfants volants

Casa da Mãe Joana 2
com Paulo Betti; José Wilker; Antonio Pedro; Juliana Paes; Leona Cavalli; Carmem Verônica; Fabiana Karla; Ailton Graça
Dirigido por Hugo Carvana, que também é ator e foi diretor, entre outros, de Não se preocupe, nada vai dar certo

Cinzas e Sangue
com Ronit Elkabetz; Abraham Belaga; Marc Ruchmann; Claire Bouanich; Olga Tudorache; Razvan Vasilescu
Dirigido por Fanny Ardant, que também é atriz

Cores
com Acauã Sol; Simone Iliescu; Pedro di Pietro; Tonico Pereira; Guilherme Leme; Maria Célia Camargo; Graça de Andrade
Dirigido por Francisco Garcia, diretor estreante

Depois de Maio
com Clément Métayer; Lola Creton; Félix Armand; Léa Rougeron; André Marcon; Johnny Flynn
Dirigido por Olivier Assayas, conhecido por Paris, Te Amo

Infectados
com Christian Slater; Brendan Fehr; Amy Matysio; Michael Therriault
Direção por Roger Christian, mesmo diretor de A Reconquista

Jobs
com Ashton Kutcher, Josh Gad, Annika Bertea
Dirigido por Joshua Michael Stern, diretor de Promessas de um cara de pau

O Ataque
com Channing Tatum; Jamie Foxx; Maggie Gyllenhaal; Jason Clarke; Richard Jenkins; James Woods; Jimmi Simpson; Michael Murphy
Dirigido por Roland Emmerich, produtor de O Dia depois de Amanhã e diretor de Independence Day

Simplesmente uma Mulher
com Sienna Miller; Golshifteh Farahani; Roschdy Zem; Sayed Badreya; Tim Guinee; Bahar Soomekh; Doug James; Usman Ally
Dirigido por Rachid Bouchareb, diretor de London River – destinos cruzados

Deixe um comentário

[CRÍTICA] Antes da Meia Noite (2013)

before

Continue lendo »

Deixe um comentário

[CRÍTICA] O Grande Gatsby

A expressão traduz o sentimento, old sport!

Continue lendo »

Deixe um comentário

[Crítica] Um Divã para Dois (2012)

Continue lendo »